Arquivo de 30 de outubro de 2012

ALERTA DE FRAUDADOR!

Prezados parceiros, vamos ficar atentos com as Fraudes!

Segue documento fraudado, este indivíduo da foto está tentando efetivar contratos em todos os bancos com RG’s fraudulentos.

 

NA MIRA DOS FRAUDADORES

Os servidores públicos ativos e inativos e os aposentados e pensionistas do INSS  representam mais de 85% dos tomadores de crédito consignado no país, de acordo dados do Ibope. Maioria entre os  usuários desse tipo de empréstimo, os idosos são também as vítimas preferenciais dos fraudadores. Por isso, é preciso tomar cuidado na hora de contratar o serviço, mesmo com facilidades atrativas, como as taxas de juros menores e o desconto direto do benefício em folha. De acordo com a diretora da regional Goiás da Asso­ciação Nacional das Empresas Promotoras de Crédito e Co­r­respondentes do País (Aneps-GO), Karla Dantas, a quantidade de fraudes e queixas em relação ao consignado tem crescido. Segundo levantamento da Previdência Social, 15 mil reclamações foram registradas em todo o Brasil ao longo do último ano. O INSS também registou aumento de quase 20% nas fraudes relacionadas a essa modalidade de crédito. Em 2010, foram  2.773 ocorrências, já em 2011 o número subiu para 3.320. Em Goiás, de acordo com o Procon estadual, mais de 2,3 mil pessoas procuraram o órgão em 2012 para relatar problemas com o consignado.  Apesar de cada vez mais frequente, a fraude, em geral, é realizada por meio da mesma estratégia: o uso e a falsificação de documentos pessoais das vítimas. De acordo com Karla Dantas, os golpes são facilitados “pela inocência de aposentados que confiam seus dados a terceiros, incluindo parentes.” Segundo a  diretora da regional da Aneps, os criminosos costumam se passar por funcionários de bancos ou financeiras e simulam a realização de recadastramentos. “O objetivo é conseguir o documento, fazer a cópia e retirar o crédito por meio do benefício do aposentado”, explica. O idoso,  muitas vezes, só descobre que foi vítima de um golpe ao sacar o benefício.  Providências Karla Dantas explica que ao perceber a fraude, o beneficiário deve procurar o INSS para  solicitar o cancelamento do desconto. Para tanto, terá que comprovar que não efetuou o empréstimo. A orientação é requerer  o histórico de descontos e o protocolo da Dataprev, com as informações da  Previdência Social, e notificar o banco. “As instituições financeiras, atualmente, tem um canal de atendimento que notifica a empresa terceirizada para verificar a origem do contrato e até mesmo chegar ao fraudador”, detalha a diretora. Karla explica que se a fraude for confirmada, o banco envia um arquivo à Dataprev suspendendo os próximos descontos e ressarcindo o cliente dos descontos indevidos já realizados.

Cuidados Além de não entregar os documentos pessoais para pessoas desconhecidas, o contratante do consignado deve ficar atento a algumas situações que podem indicar um golpe, como orienta o delegado adjunto da  Delegacia do Consumidor (Decon), Itamar Lourenço. De acordo com ele, o cliente deve desconfiar de empresas que oferecem facilidades, como crédito para pessoas físicas com nome sujo. Outros sinais de fraude são a antecipação de pagame­n­­to, que não é pedida nos ca­sos do consignado, e grandes diferenças em relação a taxas de juros cobradas por outras empresas. Para o delegado, o melhor é optar por empresas estabelecidas na própria cidade ou no estado. Karla Dantas recomenda que antes de fechar o empréstimo, o cliente verifique se as informações recebidas sobre a instituição, como nome, endereço e telefone, são reais e se o contrato que está assinando é mesmo do banco que o profissional diz ser funcionário. O beneficiário deve confirmar, por meio da 2ª via do contrato, se o valor combinado foi o mesmo efetivado no documento. “Os fraudadores costumam fazer a chamada venda casada, anexando via de seguros ou associações no meio das vias de contrato”, explica a diretora.

(Fonte: tribunadoplanalto.com.br)

CNPS APROVA RESOLUÇÃO PARA REGULAMENTAR O MERCADO

Documento propõe limitar a remuneração dos prestadores com relação à oferta de crédito consignado para 10% do valor do contrato averbado.

Da Redação (Brasília)- Resolução que recomenda ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a adoção de providências para que sejam firmados contratos de concessão de crédito consignado para aposentados e pensionistas apenas com instituições financeiras que atendam à regulamentação da remuneração de prestadores de serviços foi aprovada, nesta quinta-feira (4), por unanimidade, pelo Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS), reunido na sede do Ministério da Previdência Social, em Brasília.

“Para baixar os juros, a gente tem que reduzir o custo destes juros, pois é assim que o aposentado será beneficiado”, afirmou o secretário de Políticas de Previdência Social, Leonardo Rolim, que atuou como presidente do CNPS, esclarecendo o objetivo da resolução. “A intenção é evitarmos o assédio demasiado aos aposentados, o que pode levar, entre outros problemas, ao endividamento excessivo e à constante renovação dos contratos, que tem como consequência a dilatação dos prazos dos empréstimos”, acrescentou.

Limitar a remuneração dos prestadores de serviço – também conhecidos como “pastinhas” – com relação à oferta de crédito consignado para 10% do valor do contrato averbado é a proposta da resolução. Em segunda medida, a normativa recomenda que a remuneração seja realizada de forma diferida, isto é, paga mensalmente, de forma proporcional, durante todo o período de duração do empréstimo. Por fim, o documento estabelece também que a remuneração seja cessada em caso de transferência do crédito consignado para outra instituição financeira ou por liquidação antecipada da dívida.

A resolução recomenda, ainda, a definição de prazo, pelo INSS, para que as instituições financeiras se adequem à remuneração sugerida e que seja viabilizado o intercâmbio de informações com o Banco Central do Brasil (BCB) para o efetivo cumprimento da medida. Nos próximos dias, o INSS regulamentará, por meio de instrução normativa, a recomendação sugerida pelo CNPS.

Fonte: www.aneps.org.br

O PRAZO ESTÁ ACABANDO (CERTIFICAÇÃO)

Prezados,

Porque buscar a certificação agora? 

Estamos vivendo um momento de grande transformação em nosso segmento de atuação, desde a publicação da RES 3954 do Banco Central em Fevereiro de 2011, quando o Órgão estabeleceu regras para a contratação de Correspondentes no País e Promotoras de Crédito, com o objetivo de regular e profissionalizar o segmento, uma dessas regras é a Certificação dos Agentes de Correspondentes conforme a integra do Art.12 da referida resolução abaixo:

“Art. 12. O contrato deve prever, também, que os integrantes da equipe do correspondente, que prestem atendimento em operações de crédito e arrendamento mercantil, sejam considerados aptos em exame de certificação organizado por entidade de reconhecida capacidade técnica.”

Esta exigência passa a vigorar a partir de Fevereiro de 2014 faltam “apenas” 16 meses, menos de 1 ano e meio para a exigência desta certificação, mas independente do prazo e da obrigatoriedade da medida, defendemos que as empresas e profissionais que atuam nesse segmento devem incentivar e promover a certificação dos (Agentes de Correspondentes), o que certamente ira proporcionar:

* Oportunidades de emprego para os Agentes 

* Qualificação e profissionalização de sua mão de obra 

* Diferencial para negociação e credenciamento juntos aos Bancos Contratantes 

* Maior credibilidade junto aos clientes por ter equipe de vendas certificada 

* Antecipação à exigência legal, evitando ficar sem operar após a entrada em vigor da Resolução, quando a procura pela certificação certamente irá aumentar o que poderá acarretar atraso nas certificações em função da demanda. 

Não deixe para depois certifique-se já, para que possamos juntos fortalecer e profissionalizar o segmento. 

Maiores informações acesso nosso site www.certificacaoaneps.com.br 
Ou pelos fones (11) 3104-5168 ou (11) 3104-5169